Deputado tenta barrar decisão do STF que criminalizou a LGBTfobia.
(Ilustrativa)

Mato Grosso registrou, entre janeiro e agosto deste ano, 160 boletins de ocorrência de crimes contra LGBTs. Em comparação com o ano passado, o número teve um crescimento expressivo, visto que em 2019 foram 77. Os dados são do Grupo Estadual de Combate aos Crimes de Homofobia (GECCH).

A violência contra o público LGBT sempre existiu, no entanto, ela foi muito tempo silenciada. Somente no ano passado tivemos uma mudança significativa no aspecto jurídico deste tipo de crime com a punição prevista na Lei de Racismo. Isso contribuiu muito com o aumento de denúncias, já que as pessoas se sentem mais encorajadas e respaldadas pela lei”, pontuou o secretário do GECCH.

Segundo a visão do tenente-coronel PM Ricardo Bueno, as denúncias podem ter aumentado, por isso a diferença discrepante. Além do mais, com o assunto vindo cada vez mais à tona, LGBTs estão mais conscientes de seus direitos.


Em tempo – Lembrando que a LGBTfobia é o crime cuja motivação se dá em função da orientação sexual e/ou identidade de gênero do sujeito. Sendo assim, um furto simples, por exemplo, por mais que um LGBT seja a vítima, não deve estar no rol de crimes de LGBTfobia.