Depois de dois paredões que escancaram o machismo e homofobia em nosso país, Rodolffo sai

O cantor, mesmo tendo atitudes preconceituosas no reality show, eliminou duas mulheres evidenciando a injustiça em nosso país

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O participante Rodolffo, de 32 anos, foi o eliminado nesta terça-feira (6) do Big Brother Brasil, com um percentual de 50,48 %. O dono do hit Batom de Cereja protagonizou polêmicas com suas falas até então consideradas pelo próprio como “despretensiosas e sem maldade”, buscando sempre justificar as ocorrências com o mesmo argumento de “Se vocês soubessem de onde eu venho, vocês me entenderiam”. Mas será que de fato a nossa origem determina o nosso nível de conhecimento, ou devemos olhar pelo outro lado, lado este em que as vítimas de constantes injustiças não estão tendo mais forças para explicar o óbvio?

No dia 24 de março, Carla Diaz, em um confronto com Fiuk e o próprio Rodolffo, foi eliminada com 44,96% dos votos, com uma ínfima diferença de meio porcento do cantor sertanejo. Em contraponto, as justificativas do público para a saída da ex-Chiquitita se resumiram na relação da atriz com o seu até então ficante do reality, Arthur. O bastião (Rodolffo) reforçou a visão machista quando semanas anteriores, ao ser líder, indicou Carla ao paredão falso, a rotulando de “desleal” perante suas atitudes com seu companheiro no jogo, trazendo em seu discurso a escolha do instrutor de crossfit, que decidiu imunizar seu melhor amigo no game, Projota, e não ela. O goiano afirmou assim:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O Arthur ficou entre a cruz e a espada pra essa imunização, mas, com certeza, se ela fosse leal ao cara que ela tá ficando aqui dentro da casa, ele não pensaria duas vezes em dar esse cordão pra ela”.

A escolha do público pela saída da atriz ao invés do cantor evidenciou o machismo e homofobia da parte dos votantes deste paredão, pois quatro dias antes Rodolffo teve mais uma fala ofensiva, desta se referindo a vestimenta do Fiuk. Na época, o líder da semana, Gilberto, se ofendeu com a fala, que foi determinante para indicar seu até então aliado ao paredão.

Na semana seguinte, a mesma pauta se repetiria. Como de costume, o cantor reduziu todos os questionamentos levantados por Gilberto e Fiuk como “mimimi”, não levando em consideração a gravidade do seu erro, sendo que foi ele o escolhido para retornar de uma possível eliminação, em que até o próprio achava que sairia. Na formação de um novo paredão, Rodolffo votou surpreendentemente em sua amiga Sarah, destacando erros da sua aliada de jogo. O paredão foi formado pelos dois e a Juliette, coadjuvante dessa disputa. Com grande expressividade, a brasiliense Sarah foi a oitava eliminada do BBB21, saindo com um total de 76,76% dos votos, demonstrando que mais uma vez o Brasil escolheu eliminar uma mulher ao invés de uma pessoa que possuía fatos e dados de seus erros, pois é muito mais fácil romantizar a rivalidade entre duas mulheres do que destacar o preconceito escancarado de um dos participantes.   

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio