Como ser um aliado de pessoas trans sem invisibilizar e protagonizar seu papel

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mesmo que
tenha havido grandes avanços entre a comunidade, pessoas trans ainda são
desproporcionalmente marginalizadas e ainda dentro da nossa comunidade. Sem
pessoas trans, a comunidade LGBTQ em geral não teria NENHUM dos avanços nos
direitos que desfrutamos agora.

Esta é uma
lista do que fazer para ser um aliado da causa trans, uma parte essencial da
jornada rumo à libertação de qualquer grupo oprimido, e essas dicas ajudarão
você a ter certeza de que está sendo o melhor advogado que pode ser.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

As maneiras pelas quais as pessoas discriminam a comunidade trans são variadas. Embora formas explícitas como a violência possam ser mais óbvias, em muitos casos o fanatismo que as pessoas trans enfrentam diariamente é muito mais insidioso.

Ted Eytan via Flickr

Desde
microagressões, como delitos deliberados ou repetitivos, até táticas básicas de
intimidação, como invasão do espaço pessoal ou tirar uma foto sem consentimento
e a negação de um emprego podem ser uma forma de invisibilizar essa pessoa.

Só porque
você sabe quem é Laverne Cox ou você assistiu a série Pose toda em uma noite
não significa que você seja um especialista na experiência trans, e tudo bem.
As pessoas trans são as únicas qualificadas em suas próprias identidades e,
mesmo quando ainda estão se descobrindo, definitivamente vão saber mais do que
você.

Em um mundo
que constantemente tenta silenciar vozes trans, não adicione sua voz. Ao ouvir
pessoas trans, você perceberá quase imediatamente que suas experiências são
totalmente variadas – longe da maneira monolítica em que são apresentadas na
mídia.

A transfobia
é comum – mesmo em espaços LGB – e é seu trabalho defender a comunidade quando
as pessoas pensam que podem se safar de alguma transfobia casual, porque não há
pessoas trans por perto.

Todos cometem erros.

As pessoas trans perdoam os erros, desde que você esteja aprendendo, crescendo e que suas desculpas estejam corretas. Reconheça seu erro e siga em frente com a conversa.

Se você acidentalmente confundir alguém, tudo bem! Mas, em vez de pedir desculpas por algo dramático, o que o centraliza completamente e provavelmente fará seu amigo trans sentir como se estivesse sobrecarregando você, um simples “Merda, desculpe, obrigado por me corrigir” será suficiente.

Trans não é uma estética.

A identidade
de gênero não é a mesma que expressão de gênero, e você definitivamente não
recebe pontos por “não perceber” que alguém é trans. Da mesma forma,
apenas porque uma pessoa é trans, não significa que ela precisa aderir à sua
compreensão de gênero quando se trata de roupas, maquiagem ou até gosto
musical. As pessoas trans não lhe devem feminilidade, masculinidade ou
androgenia.

Reconheça
que as normas de gênero são inteiramente arbitrárias e, na verdade, apenas uma
construção social usada como arma por aqueles que se beneficiam do patriarcado
para infringir mais opressão. Não há uma maneira de ser trans, e certamente não
há uma maneira de ‘parecer trans’.

Não faça perguntas intrusivas.

Como regra
básica, se você tem uma pergunta em mente que não perguntaria a ninguém, exceto
uma pessoa trans, não pergunte à pessoa trans. Assim como você não perguntaria
a um amigo cisgênero sobre os órgãos genitais, não deveria perguntar ao seu
amigo trans sobre os órgãos genitais.

Pessoas trans
são mais do que sua identidade.

As pessoas
trans são multifacetadas e é provável que não desejem passar todas as
interações com você falando sobre o sexo delas. Crie um ambiente aberto para quando
uma pessoa trans quiser falar sobre sua experiência, mas não se intrometa. Há
outras coisas para conversar!

Rapidinhas:

Evite dizer as
frases abaixo:

“Eu
nunca imaginaria que você era trans, você é tão bonita / bonita!”

“Você
parece uma mulher / homem de verdade.”

“Você é
tão corajosa.”

“Você pareceria
muito melhor se usasse menos / mais maquiagem”.

“Oh, você
foi atacado? Bem, querida, o que você esperava que acontecesse se vestindo
assim?

“Você
já considerou um fonoaudiólogo?”

“Posso
ver uma foto de como você era?”

“Qual é
o seu nome verdadeiro?”

“Então, se você não é binário, então está em uma fase antes de fazer a transição completa?”

Adaptado do Gay Times

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio