Briquedos eróticos (Foto ilustrativa)
Briquedos eróticos (Foto ilustrativa)

A pandemia do coronavírus implementou muitas mudanças em todos os sentidos. Claro que muita gente finge que não está acontecendo nada, mas os sensatos, os que enxergam além da própria arrogância, sentiram o impacto e exercitaram um sentimento que está cada vez mais escasso: a generosidade e a empatia, que é sentir como o outro.

Nesse sentido, o o prazer não deve ficar em segundo plano. Mas quem disse que não é possível se satisfazer sozinho? Ou por meio de uma conversa virtual quentíssima? Sim, é. De acordo com o portal Mercado Erótico, entre março e agosto, a venda de vibradores teve um crescimento de 50%.

Em três meses, aproximadamente 1 milhão de unidades foram vendidas aqui no Brasil. O setor em geral teve um crescimento de 12% segundo os dados da Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico. 


“Antigamente as pessoas tinham receio de comprar em sex shop, tinham vergonha, achavam que estavam fazendo algo de errado”, explica Stephanie Seitz, diretora da INTT Cosméticos.