Bandeira LGBT

No dia 25 de outubro, domingo, às 14h, a Associação da Parada do Orgulho
LGBT
de Vinhedo – Bianca Niero, com apoio do programa +Orgulho, promove
a 1ª Parada Virtual do Orgulho LGBT de Vinhedo, uma iniciativa para viabilizar
a realização de uma Parada LGBT totalmente on-line em respeito a recomendação de
isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus. As ações serão
veiculadas por meio da plataforma de streaming #CulturaEmCasa e também pelo
Facebook e YouTube da associação. O tema do evento será Democracia e
Diversidade, Nosso Voto é Nossa Voz.

O +Orgulho é um programa criado pelo Museu da Diversidade Sexual (MDS)
via Amigxs da Arte, organização Social de Cultura responsável pela gestão do
Museu através do Programa de Apoio à Cultura LGBTQIA+, órgão da
Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. A 1ª Parada
Virtual do Orgulho LGBT de Vinhedo será apresentada por Dafiny Mullers e
Alexandrite Moonsuan. Participam também as Drag Queens Thalita Petrovanni,
Stefanni Gardeni e Joyce Meirelles, além das cantoras Drag Queens Luiz Kingsman e Jasmyne, do cantor Viktor Huggo e da cantora Luciana Cândido. O encerramento
será com discotecagem do DJ Cris Negrini.

A Parada Virtual é um novo cenário que encontramos em 2020 para obedecer à
recomendação dos órgãos públicos e respeitar as famílias enlutadas para as quais
levaremos nossa constante luta pelas pautas LGBTs. Ainda que de modo virtual,
queremos causar o mesmo impacto social na sociedade para chamar atenção dos
governantes em relação às pautas que defendemos”
, diz Guilherme Looy, Diretor
Presidente da Associação da Parada do Orgulho LGBT de Vinhedo – Bianca
Niero.


Sobre o +Orgulho

Desde março o +Orgulho viabilizou a mostra digital Queerentena – com artistas de
diversos estados, uma exposição de artes pela plataforma Google Arts & Culture, a
celebração da Parada LGBTQIA+ paulistana e uma programação especial em agosto,
mês da Visibilidade Lésbica. A ação das Paradas virtuais é fruto de uma parceria
entre o Museu da Diversidade Sexual e o #CulturaEmCasa, plataforma de
streaming de vídeos que reúne de forma gratuita o que há de melhor na
programação cultural produzida por artistas e profissionais do setor.

O objetivo do programa é selecionar e apoiar projetos de Paradas do Orgulho da
população LGBTQIA+ no interior e litoral do Estado de São Paulo. As atividades
culturais e ações de visibilidade têm como base a promoção dos direitos humanos, o
combate à discriminação e a visibilidade da população LGBTQIA+.

Além da celebração do orgulho de viver a diversidade e incentivar uma cultura de
paz e convivência, o projeto também gera um impacto direto nas cidades
contempladas ao fomentar o turismo e movimentar o calendário de atividades
culturais, educativas e de lazer referente às Paradas.

O programa foi criado em 2017 e contemplou 10 municípios na sua primeira edição,
doze na segunda e na terceira (2018 e 2019) e 25 no ano de 2020. Como forma de
adaptação às modificações causadas pela pandemia da coronavírus, as cidades
contempladas realizarão uma ampla coleta de testemunhos através do programa
Memórias da Diversidade Sexual.

A seleção de cidades foi operada por uma comissão composta por integrantes de
diversas secretarias do Governo do Estado e representantes da sociedade civil. Os
quesitos para a escolha incluíram qualidade do projeto, localização geográfica, dados
de sobre LGBTfobia no município, entre outros.

Sobre o Memórias da Diversidade Sexual

O projeto Memórias da Diversidade Sexual é uma iniciativa inédita do Museu
da Diversidade Sexual e da Amigxs da Arte que propõe o registro audiovisual
de entrevistas simples e diretas com integrantes da comunidade LGBTQIA+ do país
que contam suas lembranças, memórias, histórias, vivências e experiências. Nas
entrevistas, estão assuntos como família, trabalho, relacionamentos, encontros,
participação nas Paradas, sexualidade, pontos de convivência, discriminação,
preconceito, história e militância.

A junção das duas ações, o +Orgulho e a Memórias da Diversidade Sexual,
visibilizam e preservam a memória das Paradas, além de reforçar o papel de ativistas
e pessoas LGBTQIA+ que ajudaram a construir a história do movimento pelo interior
e litoral do estado de São Paulo.

As entrevistas reúnem pessoas de diversas raças, etnias, gerações, identidade de
gênero, orientação sexual e pessoas com deficiência que sejam residentes da cidade
onde se realiza a Parada e integrantes da sigla LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros etc). O acesso ao conteúdo será
pela plataforma virtual de streaming #CulturaEmCasa, lançada pela Secretaria de
Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo em abril deste ano e é gerida
pela Organização Social Amigxs da Arte em parceria com o Museu da
Diversidade Sexual.

Serviço

Parada LGBTQIA+ de Vinhedo
25 de outubro, domingo, às 14h.
Transmissão: #CulturaEmCasa, Facebook e YouTube

 Redes sociais no FacebookInstagramTwitter e YouTube