Pride
Pride Bank (Divulgação)

O Pride Bank, o primeiro banco LGBT+ do mundo veio para o Brasil em novembro do ano passado e agora chegou com tudo ao mercado. O intento é dar um enfoque exclusivo às finanças do público LGBT+.

O potencial do banco é grande, pelo menos 5% desse público dá para alcançar”, afirma Márcio Orlandi Júnior, presidente do Pride Bank. Nesse sentido, a partir de hoje (17) as contas digitais já poderão ser abertas.

O banco nasceu de uma primeira vontade de dois dos nossos sócios de gerar dinheiro para causas sociais”, destaca Orlandi Júnior, militante da causa LGBTI+. Ao todo, são 12 pessoas dedicadas ao projeto.


“Quando se fala em passabilidade é o quanto a pessoa já passou pelo processo de transição e o quanto ela já se parece com o gênero que ‘escolheu”, enfatiza Márcio, quando o assunto é o nome social registrado no cartão. Segundo os organizadores, ter o nome social registrado no cartão ajudará pessoas trans a não passarem por situações constrangedoras.