Chamado de intolerante, Fábio Porchat dispara: “com religião se brinca sim”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O comediante Fabio Porchat se pronunciou sobre o ataque sofrido pela sede do Porta dos Fundos na última semana. Através de um artigo publicado no jornal O Globo nesta segunda-feira (30), ele afirma que “com religião se brinca sim”.

No texto, Fabio defende abertamente a liberdade de expressão e também fala sobre o direito das pessoas se sentirem ofendidas por conta de alguma piada, caso ela vá contra a lei.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Sinto lhe informar, mas com religião se brinca sim. Com qualquer uma. Se brinca com religião, com futebol, com política, com a minha mãe, com o Detran, com o que você quiser. Isso não sou eu que estou dizendo, é a Constituição brasileira”, inicia o ator.

“Satirizar a Bíblia, olhe só, não é contra a lei. Chutar a Nossa Senhora é contra a lei. Depredar centros de umbanda é contra a lei. Dizer que você tem que parar de tomar remédio e só quem cura é Deus é contra a lei”, disse ele, que foi alvo de críticas de Silas Malafaia.

“Jogar coquetel molotov em uma produtora porque não gostou do que ela produziu é contra a lei. E, veja, brincar com a imagem de Deus não é intolerância. Intolerância é não querer deixar que brinquem”, acrescenta Porchat.

Desde que foi divulgado pela Netflix, o especial de Natal do Porta dos Fundos, A Primeira Tentação de Cristo, foi altamente criticado pela presença de um “Jesus gay”. A polêmica envolvendo o filme chegou a ser destaque em publicações internacionais.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio