Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT lança guia prático para mudança de nome social; saiba como baixar

O lançamento do guia prático será realizada no dia 27 de abril, às 10h, em uma live no canal no YouTube

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ao identificar a necessidade de pessoas Transexuais e travestis que buscam a mudança do nome social, a (CPDD-LGBT), Centro de Promoção e Defesa dos Direitos LGBT, vinculado à SJDHDS, elaboraram um guia simples e direto com orientações, desde a retirada das certidões nos cartórios aptos para a realização da mudança aos detalhes necessários para a solicitação do documento e mudança de nome.

A data de lançamento do guia prático será realizada no dia 27 de abril, às 10h, em uma live no canal da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia (SJDHDS) no YouTube. O documento também estará disponível para consulta e download na página do órgão na internet. Acesse e baixe: (www.justicasocial.ba.gov.br).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para o secretário da SJDHDS, Carlos Martins, o acesso à informação garante a busca por direitos de maneira mais efetiva. “O acesso à informação, com qualidade e orientação básica, contribui para que a busca por direitos se dê de forma mais efetiva, promovendo ainda mais cidadania e garantindo que todos possam viver da melhor maneira possível na sociedade“, pontuou.

Márcio Queiroz, advogado e membro da equipe jurídica do CPPD-LGBT Bahia, destacou a importância do material como mais um amparo legal para transexuais e travestis na garantia de direitos, além de ser um redutor de danos, como transfobia, nas relações interpessoais.

A retificação de prenome e gênero é a tradução do direito constitucional à identidade e à dignidade. É a padronização sob os olhos da lei da certeza identitária que há muito se consolidou na individualidade do ser trans. É a esperança de nunca mais ter que marcar o quadrado de gênero que não lhe pertence no cadastro da loja de departamento e jamais ser chamado por um nome que não lhe representa. É a conquista daqueles e daquelas que padeceram com a invisibilidade e hoje rumam a largos passos para o protagonismo social”, declarou Márcio Queiroz.

Segundo Renildo Barbosa, coordenador do CPDD-LGBT, o objetivo do guia é atingir o maior número possível de pessoas, pois, de acordo com ele, a população do interior precisa de apoio e ainda não conta com o suporte presencial do Centro. “O nosso foco é chegar ao maior número possível de pessoas da capital e do interior. Precisamos atender essas demandas e tornar acessível políticas públicas aos trans deve ser uma prioridade, uma vez que esse público sofre diversas violências desde a juventude, por membros da família, e pela sociedade. Instrumentalizar significa também potencializar ações entre trans, no que chamamos de ação entre pares. Que seja bem utilizado e que traga felicidades a cada certidão retificada emitida”, afirmou Renildo Barbosa.

Gil Lima, assistida pelo CPDD-LGBT, celebrou recentemente a conquista da nova certidão de nascimento. “Você não tem noção da importância deste momento na minha vida e de muitas pessoas trans e travestis, que, como eu, sofrem em diversos espaços pela falta deste documento. É felicidade que não cabe em mim”, afirmou ele.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio