Ator de High School Musical diz que não faria papel gay hoje

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No início desta semana, o diretor da High School Musical, Kenny Ortega, disse que o personagem favorito de fãs de High School Musical, Ryan Evans, o obcecado em teatro, era gay nos filmes.

Ele explicou
que o motivo pelo qual Ryan não era abertamente gay foi porque a equipe decidiu
que ele “se assumiria só na faculdade”. Quando perguntado se seria
possível que Ryan fosse abertamente gay, ele lançou: “Eu tenho que ser
honesto com você. Eu não pensava na época – e a Disney é o grupo mais
progressivo de pessoas com quem já trabalhei.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

E agora, Lucas Grabeel, que interpretou Ryan nos filmes, disse ao TMZ que não aceitaria o papel se o High School Musical fosse filmado hoje. Ele explicou: “Existem tantos atores gays incrivelmente talentosos que também poderiam fazê-lo. Portanto, se o High School Musical fosse lançado hoje, não sei se interpretaria Ryan.

“Eu
adoraria, mas a última coisa que quero fazer é tirar uma oportunidade de outras
pessoas.” Ele acrescentou: “Como um homem branco hetero, eu sei que,
mesmo sem tentar, tirei oportunidades de outras pessoas”.

Lucas também revelou que ele e Kenny haviam falado sobre a orientação sexual de Ryan, dizendo: “Eu cheguei ao Kenny um dia e fiquei tipo ‘Ei, então podemos falar sobre o personagem por um segundo? O Ryan é gay, certo?”

“Ele [Kenny] respondeu ‘Bem, quero dizer, às vezes é um assunto delicado na programação infantil, não tenho certeza se a Disney está pronta agora para esse tipo de coisa. Estou absolutamente de acordo que ele é e acho que temos uma oportunidade aqui de mostrar uma pessoa real’”.

High School Musical – Imagem reprodução © Disney

Lucas então
falou sobre a importância de retratos positivos de LGBTQIA+, explicando: “[Se
assumir] é algo pelo qual muitas crianças passam e muitas vezes não são vistas
na televisão. Naquela época, (personagem gey) era extremamente extravagante ou
muito fechado”.

“Precisamos
começar a educar a todos na idade mais jovem possível, e é por isso que essa
responsabilidade cedo ou tarde cairá nas mãos da Disney, que cria uma
programação tão boa para as mentes em desenvolvimento do nosso futuro
país”, ele acrescentou.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio