Mayara Faria
Mayara Faria (Foto: Reprodução)

A atleta do Crossfit, Mayara Faria, vem sendo alvo de constantes constrangimentos e lesbofobia dentro do esporte que pratica, por conta de seu visual masculinizado e o machismo dentro da modalidade.

Mayara decidiu desabafar sobre a dificuldade dentro do esporte por conta de sua orientação, que chegou a culminar até em perda de patrocínios. O seu visual mais masculino, chegou a ser colocada em questão pelos patrocinadores, que não aceitavam o seu comportamento.

A atleta chega a relatar, que foi oferecido um aplique de cabelo para compor seu visual, para que ficasse mais feminina e “aceitável” aos padrões. “O cúmulo de todos foi um pedido que recebi para usar um ‘aplique de cabelo’ pois o meu cabelo curto e corpo forte me tornavam uma figura masculinizada e pouco atrativa para o público, e que eu poderia assustar as pessoas”, desabafou Mayara.


Carta aberta de uma Atleta Lésbica – Por Mayara Faria

 Me chamo Mayara Faria, tenho 28 anos, sou atleta de Crossfit, moro no Rio de Janeiro e sou lésbica. Entrei em contato com a Afirmativa para pedir espaço para falar sobre os abusos que sofro por ser uma atleta Lésbica.

Por ser lésbica, já sofri ameaças e ofensas nas redes sociais, já perdi patrocínios, e o cúmulo de todos foi um pedido que recebi para usar um “aplique de cabelo” pois o meu cabelo curto e corpo forte me tornavam uma figura masculinizada e pouco atrativa para o público, e que eu poderia assustar as pessoas. Até porque eu já estava chocando as mesmas por ser Lésbica.

Infelizmente sou mais uma vitima, assim como milhares de pessoas LGBTQIA+. E sempre optei por não me esconder e mostrar as mesmas pessoas que não tenho medo e estou aqui para lutar contra essa ignorância e preconceito que nos rodeia.

A discriminação contra as pessoas por causa da sua orientação sexual ou gênero impede que a população LGBTQIA+ usufrua de seus direitos básicos como cidadãos e seres humanos, já que são coibidos de expressar livremente seus sentimentos e desejos, individualmente ou com seus parceiros já que a sociedade brasileira ainda é conservadora, machista e patriarcal.

Gostaria de deixar aqui um apelo para todas as vítimas: NÃO TENHAM MEDO DE CORRER ATRÁS DOS SEUS DIREITOS. 

Se sofrerem qualquer tipo de crime cibernético ou físico denunciem procurem a uma delegacia essas pessoas não podem ficar impunes.

E estou a disposição para participar de algum tipo de engajamento social ou representar grupos que apoiem a nossa luta, e tenham interesse de estar ao lado de uma atleta lésbica. Quero levar comigo essa causa e deixar claro que não nos calarão. Não estamos sozinhas nessa luta, e temos voz sim para combater toda essa ignorância e preconceito que nos rodeia.

Meu intuito em expor a minha história é me solidarizar com tantas outras e dizer que não, vocês não vão me mudar. E empresas e grupos sociais que estiverem a fim de vincular seus trabalhos a alguém que seja símbolo de resiliência e atitude, eu quero te dizer que eu estou aqui. Entregarei o meu melhor, nada menos que isso. 

Mayara Faria – Jovem, negra, lésbica e Atleta de Crossfit