Atleta americana fica em 5º lugar em Mundial e pode ser a primeira trans na Olimpíada

A norte-americana Chelsea Wolfe ficou em quinto lugar no Campeonato Mundial de BMX Freestyle, disciplina do ciclismo

Publicado em 10/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A atleta americana Chelsea Wolfe, de 27 anos, pode se tornar a primeira atleta trans a competir em uma Olimpíada. Ela conseguiu conquistar o quinto lugar no Campeonato Mundial de BMX Freestyle, fechando o ranking nacional em terceiro, e com isso, ela deverá ser convocada para ser a primeira reserva do time dos EUA no Japão. 

Ao Outsports, ela falou sobre se tornar a primeira trans e representar a comunidade no Mundial . “Eu não acho que eu tenha pensado totalmente em como isso é emocionante, e como é incrível chegar tão longe com este meu sonho feroz ao qual dediquei minha vida nos últimos cinco anos“, afirmou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Através de sua rede social no Instagram, a atleta comemorou e muito o quinto lugar conquistado na disputa da modalidade esportiva. Ela escreveu: “E assim meu segundo Campeonato Mundial UCI está nos livros! O quinto lugar do mundo não é nada malfeito e estou tão orgulhoso de quão longe cheguei com a minha pilotagem. Para a frente e para cima! Muito obrigado a@usacycling @teamusapor todo o apoio que me permitiu viver esta vida dos meus sonhos e estou ansiosa por mais um ano de progresso!.”

Além de Chelsea, outra atleta trans pode se tornar a primeira trans na Olimpíada. Trata-se da halterofilista neozelandesa Laurel Hubbard, de 43 anos, que está classificada para a categoria superpesada (acima de 87 kg) do levantamento de peso. A Nova Zelândia ainda não fez a convocação oficial para os Jogos, mas, as chances de Hubbard estar na lista são grandes. 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio