Após estuprar menina de 13 anos lésbica para ‘cura gay’, bispo é condenado a mais de 20 anos de prisão

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com o intento de promover a ‘cura gay’, o bispo evangélico João Batista dos Santos estuprou uma menina de 13 anos de idade. De acordo com a sentença proferida pelo  juízo da Vara Criminal do Recanto das Emas, o religioso foi condenado a uma pena de 20 anos e 6 meses de prisão.

Na ocasião, como uma forma de remissão de “pecados”, a garota procurou o líder para confessar sua orientação sexual. Após revelar que é lésbica, o bispo propôs passar um óleo para ungir o corpo da garota, visando a chamada “Cura gay“, que já foi rechaçada por psicólogos e psiquiatras mundo afora.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A conduta do réu trouxe à vítima problemas de saúde consistentes em crises de ansiedade e do pânico, bem como gerando a ocorrência de episódios de desmaios e necessidade de atendimento psicológico, aspectos que sugerem gravames que extrapolam o próprio dissabor decorrente dos atos libidinosos a que foi submetida”, diz a sentença.

Ainda, segundo informações, ele já havia sido condenado duas vez pelos crimes de violação sexual mediante fraude, que recorre. Todavia, o religioso respondia em liberdade.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio