Após defender atendente de lanchonete que sofria racismo, professor alega homofobia

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nas redes sociais, diversos burburinhos estão rolando em prol do professor de dança, Jayme Marques. Segundo boatos, o educador teria sofrido homofobia por um homem que estava no local. O homofóbico teria agido após o homossexual defender uma atendente de lanchonete em Goiânia.

Aos 31 anos, o rapaz não teria se aguentado diante as ofensas à moça, e ao defendê-lá, também teria se tornado vítima de mais um crime.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em entrevista ao G1, Jayme explicou melhor sobre a situação e, a grosseria que foi tratado. “Ele falou alguma coisa assim: ‘Você precisa de fazer seu serviço direito, talvez nascendo de novo, mais parecida com um meio-fio [geralmente é pintado de branco] você consiga“, disse ele.

Em seguida, a suposta vítima concluiu detalhando ainda mais a situação; “Começou com ela, por ser uma mulher negra. Depois, se tornou um problema por eu ser gay. Ele queria descontar a raiva em alguém. A primeira pessoa foi a funcionária e depois foi a gente, que estava lá no espaço“, afirmou o homem.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio