Atazanavir
Atazanavir apresentação (Foto: Ministério da Saúde)

Pesquisa da Fiocruz testa Atazanavir e Ritonavir no tratamento da Covid-19 atestando que o medicamento Atazanavir, utilizado no tratamento do HIV, foi capaz de inibir a replicação viral, além de reduzir o processo inflamatório nos pulmões.

O estudo foi publicado nesta segunda-feira (6/4) na plataforma internacional BiorXiv, em formato de pré-print, seguindo a tendência do estudo e do reposicionamento de medicamentos no enfrentamento da emergência sanitária.

“A análise de fármacos já aprovados para outros usos é a estratégia mais rápida que a Ciência pode fornecer para ajudar no combate à Covid-19, juntamente com a adoção dos protocolos de distanciamento social já em curso”, aponta Thiago Moreno, pesquisador da Fiocruz.


O pesquisador ressalta que os medicamentos propostos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) estão mais próximos de se tornarem terapias para os pacientes com Covid-19. No entanto, mais alternativas são necessárias, como substâncias já em produção nacional e com perfil de segurança superior a algumas destas moléculas.

Considerando que trabalhos científicos anteriores já haviam apontado o sucesso na terapia como um alvo central na busca de medicamentos para o novo coronavírus, os pesquisadores voltaram seus olhos para o potencial de uso do atazanavir.

Os pesquisadores realizaram três tipos de análises: observaram a interação molecular do atazanavir com a região específica de interesse do vírus Sars-CoV-2 (a Mpro), realizaram experimentos com esta enzima e testaram o medicamento in vitro, em células infectadas.

Também foram realizados experimentos comparativos com a cloroquina, que vem sendo incluída em diversos estudos clínicos mundialmente, neste caso os resultados obtidos apenas com o atazanavir e em associação com o ritonavir foram melhores que os com a cloroquina..

Leia o artigo “Atazanavir inhibits SARS-CoV-2 replication and pro-inflammatory cytokine production” em https://doi.org/10.1101/2020.04.04.020925