Uma francesa chamada Yannick Glaudin, de 31 anos, foi presa por ameaçar homens no aplicativo de namoro gay Grindr. Ela começou as conversas com sua primeira vítima em maio de 2017 enquanto se passava como homem sob o pseudônimo de Steven St Pier no aplicativo.

De acordo com o The Guardian, Glaudin recebeu fotos e vídeos íntimos do homem, e passou a enviar essas imagens para as famílias, amigos e colegas dele e de seu então namorado, usando várias identidades falsas.

Ela também contatou a polícia em várias ocasiões para acusar falsamente o homem de agressão e pedofilia. Glaudin foi condenada a 13 meses de prisão na segunda-feira (2 de março). Ela escapou da justiça por mais de um ano depois de fugir para a França, seu país natal.


A juíza Silas Reid disse que o comportamento de Glaudin foi “projetado para causar o máximo transtorno” e descreveu suas ações como uma “campanha perturbadora de assédio”. “É difícil entender por que ela fez o que fez”.

A London Crown Court soube que Glaudin começou seu assédio quando a vítima parou de fazer contato em dezembro de 2017. Em fevereiro de 2018, ela descobriu que a vítima entrou em um novo relacionamento com outro homem.

“Essa mulher me acusou de ser um pedófilo, criou perfis falsos do meu parceiro em aplicativos de namoro, enviou vários estranhos para minha casa exigindo sexo anônimo, me seguiu e tirou fotografias da nossa porta da frente e nos provocou”, ele disse.