Aplicativo Uber (Foto Ilustrativa)
Aplicativo Uber (Foto Ilustrativa)

A nova campanha da Uber contra assédio e LGBTfobia não tem agradado alguns motoristas da plataforma. Nas redes sociais alguns profissionais têm criticado a empresa por ter um “viés ideológico”.

Divulgada no último mês, a campanha tem o objetivo de mostrar, não só para os usuários, como para os motoristas, que o aplicativo está com um novo código de conduta, onde não será tolerado pessoas racistas ou LGBTfobicas.

Em grupos do Facebook, alguns motoristas têm criticado a postura pró-diversidade da empresa. Em uma das publicações, profissionais chegam a afirmar que se verem passageiros se beijando, eles irão expulsar do carro.


Nesta semana os comentários vazaram e começaram a circular nas redes sociais. Internautas têm apontado que apesar dos comentários preconceituosos e da campanha do aplicativo, nada deve ser feito. Até o momento a Uber ainda não se pronunciou oficialmente sobre o caso.

A polêmica envolvendo a Uber acontece poucos dias após uma cantora denunciar uma situação homofóbica que vivenciou com o aplicativo. Amanda Versus afirmou que um motorista a proibiu de tocar sua namorada no carro.