Josenita Duda Ciríaco, nome conhecido na militância LGBT e na cena cultural de Pernambuco, faleceu no último domingo (dia 1) na região onde atuava, Camaragibe, onde era conhecida como Jô do Camaragibe.

A ativista e agitadora cultural faleceu aos 63 anos. O sepultamento aconteceu nesta segunda-feira (2), às 16h, no Cemitério Municipal de Camaragibe e teve a presença de amigos de militantes da causa lésbica.

Conhecida também como Nita, a pernambucana teve papel decisivo em vários movimentos do Estado de Pernambuco, onde de início aos trabalhos de luta e inclusão ainda nos anos 1970 e assinou eventos como a “Noite da Metamorfose”, programa de cunho educativo que reunia ações de prevenção a doenças sexualmente transmissíveis e performances teatrais.


Jô também é tida como peça-chave no movimento lésbico em Pernambuco e carregava em seu histórico de ações participação nas fundações do Partido dos Trabalhadores e do Movimento Negro Unificado Brasil; além da criação, em 1990, da Articulação e Movimento Homossexual do Recife e Região Metropolitana (AMHOR) e participação na AME – Associação das Mulheres Entendidas.

Há 34 anos, deu vida, junto a outros nomes, ao Centro Comunitário Vivendo e Aprendendo, no Celeiro das Alegrias Futuras, em Camaragibe. Recentemente, Nita foi a homenageada da 2ª Periférica – Mostra de Cinema de Camaragibe, no Amigos do Cine Teatro Bianor Mendonça Monteiro, na Vila da Fábrica.

A causa da morte não foi divulgada.