O caso aconteceu em 2015, em Atlanta (Reprodução)
O caso aconteceu em 2015, em Atlanta (Reprodução)

Um homem de 36 anos foi condenado por estuprar uma mulher lésbica após tentar fingir ser gay para a vítima. O crime aconteceu no ano de 2015, na cidade de Atlanta, nos Estados Unidos.

Conforme informações da revista People, Taurence Callagain foi condenado por unanimidade pelo juri popular no último dia 25 de fevereiro. A sentença ainda não foi definida pela justiça.

Ainda segundo a mídia local, Callagain conheceu a vítima durante uma viagem de transporte público e acabaram ficando amigos, após ele demonstrar ser homossexual e não ter desejo sexual pela moça.


“Eles tomavam o mesmo trem todos os dias, e eventualmente trocaram números de celular. Callagain levou a vítima a acreditar que ele era gay, e assim ela definiu o relacionamento deles como estritamente amigável”, disse a promotoria em comunicado.

Após meses de conversas, Callagain estava andando de carro, quando encontrou a moça na rua. Prontamente o agressor ofereceu uma carona para ela, que aceitou. No entanto, no meio do caminho ele pediu para passar em casa para buscar um pouco de maconha.

“Callagain disse que precisava parar em sua casa buscar um pouco de maconha, e que eles podiam fumar juntos. Quando eles entraram na casa dele, Callagain começou a agredir a vítima, sufocá-la e estuprá-la violentamente”, disse os promotores.

Depois do ato, a vítima conseguiu fugir e ir em direção a um hospital, onde ligou para a polícia. Logo depois o homem foi preso em flagrante, ao ser encontrada a calcinha da moça na cena do crime.

Mesmo com provas sobre o estupro, Callagain afirmou que o sexo entre eles foi consensual. Ainda conforme À publicação, na delegacia foi descoberto que ele já havia outra denúncia por agressão em seu nome.