Funcionária não binária é demitida após usar batom no trabalho

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma universidade tem sido acusada de LGBTfobia, após demitir uma funcionária não-binária por estar “usando batom”. O caso aconteceu no estado da Georgia, nos Estados Unidos.

Conforme informações do Atlanta Journal-Constitution, Stuart Morrison informou que foi demitido da Universidade Kennesaw State, porque teria “violado a política de aparência da instituição”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Stuart ainda afirmou que foi notificado que não poderia usar batons das cores que ele geralmente utilizava (azul, verde e preto), por ser considerado “não profissionais”. Para a universidade o correto seria “cores claras”.

Segundo a à publicação, a universidade nega ter postura discriminatória e que a demissão ocorreu por outros motivos, como esquecer o usar crachá e frequentemente precisar de tempo fora do trabalho.

O ex-funcionário negou a justificativa e aponta que tem problemas com transtornos psicológicos, o que afeta sua memória. “Ser demitido não é divertido em geral, mas senti que foi discriminatório. O fato de que eles escolheram usar esse desculpa me parece ser errado”, disse.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio