Marcus Ferreira, Marcelinho Calil, presidente da Viradouro, e Tarcisio Zanon (Reprodução)
Marcus Ferreira, Marcelinho Calil, presidente da Viradouro, e Tarcisio Zanon (Reprodução)

Após 23 anos distante do pódio do Carnaval carioca, a escola de samba Unidos da Viradou se tornou a grande vencedora da folia de 2020. Mas um detalhe chama atenção, desta vez foi por conta de um casal gay.

A escolha do tema, que neste ano homenageou as mulheres do tradicional grupo baiano Ganhadeiras de Itapuã, e todos os detalhes, foram escolhidos pelos carnavalescos Marcus Ferreira e Tarcisio Zanon, casal que está junto há quatro anos.

Em entrevista ao jornal Uol, os rapazes falaram da relação conjugal e a intensidade do trabalho. Para os dois, o envolvimento com o carnaval não atrapalhou muito no lado pessoal, já que ambos têm o mesmo gosto.


“É uma experiência nova para a gente, mas que está sendo super saudável. Nestes primeiros dias, estamos nos entendendo muito bem. Nunca opinamos no trabalho do outro, mas sempre nos ajudamos”, comentou Marcus.

“Eu e Marcus respiramos Carnaval dentro de casa. Mesmo quando éramos concorrentes, nos ajudávamos com materiais. Essa relação sempre foi muito tranquila. Concordamos muito nos conceitos e opiniões”, disse Tarcísio.