A manifestação, que ocupou o Setor Bancário Norte no último domingo, 23 de fevereiro, celebrou os 60 anos da cidade com o tema “BRASÍLIA, UMA CIDADE MONTADA” e contou com performances de artistas drags, DJs e atrações musicais como a banda brasiliense Contem Dendê, a drag queen Pikineia, a funkeira Pepita, e pela primeira vez em Brasília, a banda carioca Candy Bloco.

O Bloco
A ideia de criar o Carnavalesco Montadas – O bloco da Diversidade partiu do Distrito Drag, um coletivo artístico que visa poduzir e difundir a cultura LGBTI a partir da Arte Drag, entendida como expressão de questões políticas e sociais e como peça fundamental para a construção de uma crítica à realidade do Distrito Federal, do Brasil e do mundo. 

O Coletivo entende ser a cultura drag parte essencial da Comunidade LGBTI e, portanto, devem estar inseridas na construção de políticas públicas culturais para diversidade, inclusivas e participativas.


Montadas – O Bloco da Diversidade que tem fomento do Fundo de Apoio a Cultura – FAC e apoio do projeto Carnaval de Todas as Cores, será um manifesto de amor à comunidade LGBTI e pelo direito à cidade para todas e todos.

O carnaval como maior manifestação popular deve acontecer com alegria, diversão, protesto e respeito. E para fazê-lo democrático e acessível à troça carnavalesca Montadas contará acessibilidade, intérpretes de libras e uma equipe formadas por pessoas trans para promoverem ações no contexto da campanha “Folia com respeito”.