Ativista LGBT+ é processada por “propaganda gay” na Rússia

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A ativista LGBT Yulja Tsvetkova está respondendo por fazer “propaganda gay”, após publicar em sua rede social uma ilustração pró-diversidade, onde aparece uma família LGBT+. Com informações do site Amnesty International.

Após a denúncia, Yulja teve que pagar uma multa de 50 mil rubros, que em reais ficaria mais ou menos 3 mil reais. Ela está em prisão domiciliar desde 23 de novembro de 2019. Agora a ativista corre o risco de ser condenada a seis anos de prisão, por acusações de propagar “pornografia”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Através das mídias sociais, Natalia Zviagina, diretora da Anistia Internacional na Rússia, disse: “Mais uma vez, um ativista russo dos direitos humanos paga um preço muito alto – em todos os sentidos – por simplesmente espalhar os ideais de inclusão, tolerância e empoderamento das mulheres”.

“Yulia é o mais recente alvo de uma campanha discriminatória e intensamente homofóbica de longa data. Ela sofreu um golpe após o outro, tendo sido arbitrariamente detida, interrogada e intimidada em várias ocasiões”, completou.

A Rússia é ainda um dos países europeus com maior descriminação contra pessoas LGBTQ+ do mundo. No último ano diversos ataques à pessoas da comunidade foram expostos pela mídia do país.

Ilustração de Yulja Tsvetkova (Reprodução)
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio