Bandeira LGBT sangrando
Bandeira LGBT sangrando (FOTO: Divulgação)

Em Roraima, a Associação Nacional de travesti e Transexuais (Antra), fez um levantamento sobre pessoas trans vítimas de violência em 2019, divulgado nessa quarta-feira(29), dia da Visibilidade Trans. O grupo notou que após 9 meses, alguns suspeitos do crime bárbaro foram identificados.

De acordo com o G1, um dos casos mais conhecidos é o da jovem Sandrielly Vasconcelos, de 24 anos assassinada após tortura. O caso aconteceu ano passado, a motivação teria sido de uma facção criminosa com raiva da jovem por supostamente comprar drogas da facção rival.

“Os autores do crime planejaram a morte de Sandrielly Vasconcelos e a renderam quando foi ao local comprar drogas, onde foi amarrada, torturada e morta”, segundo a Delegacia Geral de Homicídios.


“É exatamente dentro desse cenário em que se encontram a maioria esmagadora das vítimas, tendo sido empurradas para a prostituição compulsoriamente pela falta de oportunidades encontrando-se em alta vulnerabilidade social”, trecho do relatório.