Bandeira da Austrália / reprodução

Banido em 33 países, o pastor norte americano Steve Anderson, afirmou que as terríveis queimadas que assombram a Austrália são um castigo de Deus. Parte de seu pensamento acontece porque a Austrália o proibiu de entrar em 2019, e ele fez questão de lembrar disso em seu Facebook.

“Talvez se a Austrália não proibisse e deportasse pregadores do Evangelho, eles não estariam sob o julgamento de Deus”, postou o evangélico em sua rede social, mas recebeu muita represália pelo comportamento.

De acordo com o Põe na roda, Steve sempre demonstrou um ódio direcionado à comunidade LGBT e em 2018 após o tiroteio na boate Pulse, ele elogiou o atirador e disse que os homossexuais “eram dignos de morte”.


Vale lembrar que recentemente um pastor americano pediu perdão à comunidade LGBT+ por atacá-la em seus livros. “Para a comunidade LGBTQ+, quero dizer que sinto muito pelos pontos de vista que ensinei em meus livros e como pastor em relação à sexualidade. Lamento ficar contra o casamento igualitário, por não afirmar seu lugar na igreja, e por qualquer forma que minha escrita e fala possam ter contribuído para uma cultura de exclusão e fanatismo. Espero que vocês possam me perdoar.”