Jair Bolsonaro e Regina Duarte (Reprodução)
Jair Bolsonaro e Regina Duarte (Reprodução)

Em um governo considerado como conservador, a atriz Regina Duarte, que na última semana foi convidada para assumir a Secretaria de Cultura, já defendeu publicamente a comunidade LGBTQ+.

O caso aconteceu no último ano, quando o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, decidiu censurar obras com conteúdo LGBTQ+, da Bienal Internacional do Livro do Rio.

Através de seu Instagram, Regina fez questão de se mostrar contra o ato de censura do prefeito, que é primo do Bispo Edir Marcedo. Para a atriz global, assassinatos são muito mais preocupantes que um beijo gay.


“Amor… né, Prefeito? ❤️Agora … e os exemplos de violência, as vinganças, os derramamentos de sangue, assassinatos … isso continua podendo mostrar …?🧐🤨”, escreveu ela na legenda da foto que aparecia dois garotos se beijando.

A publicação pró-diversidade de Regina voltou a circular entre os apoiadores do governo Bolsonaro e tem preocupado a ala conservadora brasileira, para alguns a possível ministra não está “alinhada ao governo”.

“Regina, acabo de desistir que indiquem você! Não vai dar certo não! Você não vai ajudar com esses posicionamentos!”, disse um. “Essa senhora está alinhada com o governo? Veja bem pra não termos novas surpresas”, comentou outro.