Cantora Pabllo Vittar (Reprodução/Instagram)
Cantora Pabllo Vittar (Reprodução/Instagram)

O Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) emitiu nesta quinta-feira (23), uma nota oficial sobre o caso de Pablo Vittar e o clipe de Parabéns. Na última semana o vídeo recebeu restrição de idade.

No comunicado, o Conar explicou o motivo pelo qual o vídeo recebeu restrição de idade. “Por conta da publicidade de bebida alcoólica de alto teor, seja acessível apenas a maiores de idade e que a frase de advertência se torne legível”, disse.

Ainda conforme o órgão, Pabllo não quis se defender da acusação desde que um comunicado foi enviado ao seu escritório no dia 5 de dezembro. “Vinte e dois conselheiros participaram da reunião, na qual a Campari do Brasil apresentou defesa. Pabllo Vittar optou por não se defender, ainda que regularmente comunicado pelo Conar”, argumentou.


Nesta terça-feira (21), Pabllo usou seu perfil do Instagram para criticar a restrição de seu vídeo. Segundo a drag queen, seu vídeo foi vítima de uma “censura seletiva”.

“Recebemos uma restrição de idade no clipe de “Parabéns” porque estou lá segurando um copo de vodca. Sendo que já havia uma mensagem lá dizendo ‘Beba com moderação’”, explicou Pabllo.

“Peço ajuda de todos os vitalovers que continuem ouvindo as músicas no Youtube, continuem ouvindo ‘Parabéns’ nas plataformas digitais e vamos sim fazer ‘Parabéns’ uma das músicas desse carnaval, querendo ou não. Diga não à censura seletiva. Preciso da ajuda de vocês”, declarou Pabllo, informando que vai recorrer à decisão.

Confira a nota:

“Campari do Brasil – Pabllo Vittar feat. Psirico – Parabéns”

O Conar abriu em 31 de outubro de 2019 processo ético contra anúncio da Skyy Vodka, inserido em videoclipe de Pabllo Vittar e veiculado em canal do YouTube.

O caso foi julgado em 5 de dezembro pelo Conselho de Ética. Por unanimidade, deliberou-se pela alteração, para que o videoclipe, por conta da publicidade de bebida alcoólica de alto teor, seja acessível apenas a maiores de idade e que a frase de advertência se torne legível.

Vinte e dois conselheiros participaram da reunião, na qual a Campari do Brasil apresentou defesa. Pabllo Vittar optou por não se defender, ainda que regularmente comunicado pelo Conar.

A Campari ingressou com recurso contra a decisão. No Conar, cabe recurso a toda decisão de primeira instância, mas ela deve ser implementada no menor prazo possível.