USB-Foto/Reprodução
USB-Foto/Reprodução

Ninguém gosta de ficar sem bateria, mas hoje a possibilidade pra pessoa que é antenada o tempo todo de ficar sem bateria é menor. Diversos lugares públicos oferecem entradas USB para aparelhos serem recarregados, aeroportos, ônibus, praças, entre outros.

O que as pessoas ainda não pensam por inteiro, é que geralmente os lugares que inúmeras pessoas recarregam, colocam seus cabos USB ali, ficam completamente vulneráveis e podem ser atacados por invasores, vírus, e sistemas que conseguem acesso a toda privacidade do individuo.

Existem diversos bloqueadores de USB, eles atuam justamente para evitar que dados sejam roubados enquanto o aparelho é recarregado em um desses lugares, ou similares. Geralmente, os invasores colocam e instalam programas lotados de danificações, via USB, prática conhecida como juice jacking .


Camisinha USB

De acordo com a Folha de São Paulo, esses ataques “sequestram o poder de computação, resultando em um consumo de capacidade computacional para seus próprios fins e redução de recursos disponíveis aos usuários”.

A solução atualmente está nas camisinhas de USB, e com elas o tempo todo em que o aparelho estiver conectado em determinada energia, bloqueiam a troca de dados e custam por volta de R$ 40 reais aproximadamente.

Se durante um imprevisto você não tiver com uma camisinha de USB em mãos, tente usar a autentificação de dois fatores, ou até mesmo em último caso, desligue seu aparelho durante a recarga.