Bandeira do Orgulho Trans.

Em Fortaleza, uma travesti de apenas 17 anos foi espancada. A vítima sofreu espancamento a mando de uma prostituta, segundo a Polícia. A investigação policial prendeu três agressores. Uma mulher de 20 anos e dois adolescentes foram capturados, mas a mandante do crime, e mais duas pessoas ainda estão foragidas.

Cinco homens agridem travesti com socos, chutes e pauladas em Fortaleza — Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O possível caso de transfobia aconteceu no último dia 29 de novembro. No vídeo, a agressão pode ser vista explicitamente, e as imagens apresentam cinco pessoas espancando a adolescente de 17 anos, segundo o G1.

“A vítima estaria, digamos assim, roubando a clientela. A prostituta atua naquela área há mais tempo e se sentiu incomodada pela presença da vítima”, relata o delegado Carlos Eduardo, atuante na investigação do caso.


A criminosa que ordenou o espancamento da travesti, teria oferecido um valor de 100,00 reais aos agressores, segundo o delegado. No começo, o crime não foi colocado como homofobia, mas o delegado pensa na possibilidade de um crime de intolerância sexual, já que nas imagens os agressores usam termos e expressões homofóbicos e transfóbicos.

“Nós verificamos que, durante as agressões, foram utilizadas expressões que, em tese, podem caracterizar outro crime. De acordo com o entendimento do STF, essas expressões podem caracterizar crime de homofobia, transfobia. Isso não está descartado”, disse o delegado do caso.