Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, determinou que o presidente Jair Bolsonaro se esclareça sobre o fato de ter chamado o jornalista Glenn Greenwald de “malandro”. As informações são do site Uol.

“Ante o exposto, determino a notificação do Presidente da República Jair Messias Bolsonaro, para que, querendo, responda à presente interpelação no prazo de 10 (dez) dias”, disse a ministra na decisão.

A declaração de Jair Bolsonaro ocorreu em julho deste ano, durante uma entrevista no Rio de Janeiro. Segundo Bolsonaro, Glenn se casou com o deputado David Miranda (PSOL), para se proteger de uma possível deportação.


A fala do presidente veio logo após, no dia anterior, ter sido publicado uma portaria pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, que estabelece a deportação sumária de qualquer estrangeiro considerado perigoso ou que tenha agido de forma contrária ao “aos princípios e objetivos dispostos na Constituição”.

“Ele (Glenn) não se encaixa na portaria. Até porque ele é casado com outro homem (o deputado federal David Miranda, do PSOL-RJ) e tem meninos adotados no Brasil. Malandro, malandro, para evitar um problema desse, casa com outro malandro e adota criança no Brasil”, disparou Bolsonaro.

No pedido endereçado ao STF e acatado por Rosa Weber, Glenn alega que a fala do presidente é “marcada pela homofobia e pela ofensa à honra”. Caso Bolsonaro não responda a solicitação da ministra, o caso abre precedentes para uma ação criminal ao presidente.