Marco Feliciano
Marco Feliciano (Reprodução)

A jornalista Patrícia Lélis resolveu usar as suas redes sociais, nesta terça-feira (10), para expor seu descontamento com o deputado Marco Feliciano. “Quando eu tinha 22 anos e fazia parte da juventude do PSC, Feliciano me estuprou e agrediu, e fez isso usando o nome de deus. Mandou o seu assessor me oferecer carro, dinheiro e outras coisas para ficar calada”, afirmou Lélis.

“Quando a PF entrou no caso, eu acreditei que iria ter justiça, mas estava enganada. NUNCA FUI CHAMADA PARA DEPOR, sempre enrolavam as investigações. Não me culpem por não acreditar na justiça brasileira, pois a própria justiça facilita exatamente tudo para estupradores”, disse ela que em, dado momento, chega a afirmar que o congressista é bi.

Contudo, como o contraditório faz parte da democracia, Feliciano aproveitou o seu espaço para se manifestar e negou as acusações proferidas por Patrícia.“SURTADA publica vídeos/tuites dizendo q há nova acusação d assédio contra mim. Mentira! Podemos/SP usou acusação falsa q ela fez p/ me expulsar. Lelis é denunciada pelo MP por tentativa de extorsão, e condenada a me pagar 150 mil por danos morais. Fugiu do país!”, disse ele.


Vale frisar que o pastor foi expulso do Podemos em decisão tomada pelo diretório do partido em São Paulo. Segundo o documento, Marco infringiu a conduta de ética estipulada pelo partido.