Léo Dias
Léo Dias com a camisa do beijo gay (Reprodução/SBT)

Após algumas brigas públicas com diversos famosos, Léo Dias resolveu desabafar em sua rede social e compartilhar dificuldades sobre vício em drogas. O fofoqueiro fez ate uma comparação com o “Lado B,” da profissão de jornalistas de fofocas.

“Se existe alguém transparente nessa vida, esse alguém sou eu. Mas eu refiro-me a algo que foge totalmente ao meu controle. Sou um péssimo ator, não sei viver personagens e nem é preciso me conhecer muito para que, em alguns segundos olhando para mim, você já perceba alguma coisa”, disse Léo.

“Mas por que eu procuro algo que eu sei que tem consequências terríveis para a minha vida? Uma das razões é fuga, sim, simplesmente fuga. Justamente eu, que pareço tão corajoso, fujo para não encarar de frente os meus problemas. Logo em uma das minhas primeiras sessões de terapia, Dra Ângela falou uma frase que nunca mais saiu da minha cabeça: “Sua profissão é insalubre”, conta Léo.


Leo Dias ainda relembrou um alerta de Xuxa Meneghel. “O mais recente alerta veio da Xuxa, que disse que eu estava ‘agitado demais’. Aí eu fui tentar explicar que desde a infância eu sou assim… Balela. Mais uma fuga. O que eu quero dizer é que, na manhã deste domingo, eu cheguei à seguinte conclusão: eu cansei! E estou velho demais para que esses gatilhos ainda existam”, conversou Léo.

“E veja só como Deus é bom comigo: mesmo com esse mega problema eu consigo ser um dos melhores da minha profissão. Como pode? Resumo: chega! Tô exausto desse vai-e-vem, desse sobe-e-desce! Sobre a imagem acima: adição é escravidão”, finalizou o jornalista.

View this post on Instagram

Se existe alguém transparente nessa vida, esse alguém sou eu. Mas eu refiro-me a algo que foge totalmente ao meu controle. Sou um péssimo ator, não sei viver personagens e nem é preciso me conhecer muito para que, em alguns segundos olhando para mim, você já perceba alguma coisa. E por isso que está claro para qualquer imbecil que meus últimos meses foram de altos e baixos do meu lado mais obscuro, a droga. Há alguns anos (tentando) fazer terapia especializada em compulsões, chegamos a conclusões de que os fatores externos profissionais abalam demais a minha saúde mental e me faz procurar a droga. Mas pq eu procuro algo que eu sei que tem consequências terríveis para a minha vida? Uma das razões é fuga, sim, simplesmente fuga. Justamente eu, que pareço tão corajoso, fujo para não encarar de frente os meus problemas. Logo em uma das minhas primeiras sessões de terapia, Dra Ângela falou uma frase que nunca mais saiu da minha cabeça: “Sua profissão é insalubre” Como assim? Em outras palavras, ela quis dizer que eu deveria mudar de profissão. Ao invés disso, eu decidi mudar o jeito de exercer a minha profissão. Peguei mais leve, e, de fato, a minha vida melhorou. Quando eu me internei em Paulínia, eu descobri outro grave gatilho. As minhas frustrações e decepções me levam também às recaídas. E ultimamente, foram muitas. Não quero citar nomes mas vocês sabem que me refiro às minhas brigas públicas com pessoas que eu considerava leais. Não estou culpando ninguém. O único culpado sou eu. Porque eu estou escrevendo isso em uma rede social? Porque eu recebo centenas de mensagens diárias de gente se preocupando comigo. O mais recente alerta veio da Xuxa, que disse que eu estava “agitado demais”. Aí eu fui tentar explicar que desde a infância eu sou assim…. Balela. Mais uma fuga. O que eu quero dizer é que, na manhã deste domingo, eu cheguei à seguinte conclusão: eu cansei! E estou velho demais para que esses gatilhos ainda existam. E veja só como Deus é bom comigo: mesmo com esse mega problema eu consigo ser um dos melhores da minha profissão. Como pode? Resumo:chega! Tô exausto desse vai-e-vem, desse sobe-e-desce ! Sobre a imagem acima: adição é escravidão

A post shared by Leo Dias (@leodias) on