As inscrições ficam abertas até o dia 26 de julho (Foto Ilustrativa)
LGBT (Foto Ilustrativa)

Através da Tribuna Livre de Mariana (MG), mães do coletivo (R)Existência explicitaram suas vivências, objetivos e mapearam desafios da comunidade LGBT. O coletivo foi criado pela atual presidente, que, por sinal, possui uma filha LGBT.

“Ela observou que precisaria ser diferente. Lógico que não foi de imediato, mas as duas (mãe e filha) começaram a pensar algo voltado para Mariana que acolhesse o público LGBT, dando apoio e assistência a esse público que sofre muito com o preconceito e a discriminação”, diz a psicóloga, Jacqueline Luciana.

“Mariana ainda não conta com políticas públicas para esse grupo. Nós temos um projeto, aqui na Casa, que institui o Dia Municipal contra a LGBTfobia, que já foi criminalizado no Supremo Tribunal Federal“.


Então Mariana precisa se adequar e a gente tem que mostrar que Mariana é uma cidade que acolhe todos os seus filhos, independente de raça, credo, religião ou orientação sexual”, salienta Cristiano Villas Boas, Vereador (PT), conforme Portal da Cidade de Mariana.