O caso aconteceu no dia 21 de dezembro, em São Paulo (Reprodução/TVGlobo)
O caso aconteceu no dia 21 de dezembro, em São Paulo (Reprodução/TVGlobo)

Suspeito de tentar assassinar a queima roupa um vizinho gay, o aposentado A.Abdo, 89 anos, confessou durante uma entrevista ao Fantástico deste domingo (30), que tinha o objetivo de matar Rafael Dias.

“Eu fiz isso de homem para homem, fui induzido a me defender porque ele me atacou. Confesso: tentei matá-lo”, disse o homem, que é policial aposentado e negou ser homofóbico.

“Inclusive, dou mais tratamento a esse tipo de pessoal muitas vezes do que para uma pessoa normal”, apontou o agressor. “Não é que eles são anormais, nasceram assim, o problema é da cabeça deles. Não sou homofóbico”, continuou.


Conforme a reportagem, imagens mostraram que minutos antes de cometer a tentativa de homicídio, A.Abdo fez uma ameaça de morte escrita no livro de reclamações do condomínio. Segundo ele, fez aquilo por emoção.

O caso envolvendo os dois vizinhos ocorreu no dia 21 de dezembro. Na agressão, Rafael foi atingido por um dos três tiros na região do maxilar. Ele foi socorrido e encaminhado para Santa Casa de Misericórdia.

O agressor chegou a ser preso em flagrante no dia seguinte, no entanto, foi solto na tarde da segunda-feira (23). Rafael procurou uma delegacia para que o crime seja autuado como crime de homofobia, já que antes ele foi registrado apenas como “tentativa de homicídio”.