Papa Francisco
Papa Francisco (Foto: reprodução)

Novamente o Papa Francisco criticou fundamentalistas que usam preceitos religiosos para legitimar seus discursos odiosos. Desta vez, houve até uma comparação com o totalitário Hitler. Papa reiterou o já havia mencionado, sobre ataques contra gays e outros grupos minoritários.

“Não é coincidência que, às vezes, haja um ressurgimento de símbolos típicos do nazismo”, disse Francisco. O discurso foi dado aos participantes de uma conferência internacional nesta sexta-feira (15).

“E preciso confessar a vocês que, quando ouço um discurso de alguém responsável pela ordem ou pelo governo, penso nos discursos de Hitler em 1934, 1936”, afirmou ele, relembrando do líder supremacista, que também enviou homossexuais para o campo de extermínio.


“Com a perseguição de judeus, ciganos e pessoas com tendências homossexuais, hoje essas ações são típicas (e) representam ‘por excelência’ uma cultura de desperdício e ódio. Foi o que foi feito naqueles dias e hoje está acontecendo novamente“, disse.