barbearia-machismo
Homens gays fizeram relatos sobre casos de machismo em barbearias (Foto Ilustrativa)

Mesmo vivendo em uma época mais moderna e cheia de informação, o machismo ainda é algo que atinge significativamente a comunidade LGBTQ+. Ainda hoje é comum homens que fazem parte da comunidade se sintam constrangidos em ambientes ditos como “normativos”. Exemplo disso são as barbearias.

Atualmente mais modernas, estilosas e cheias de conceito, as barbearias buscam atender todos os tipos de público, no entanto, há quem diga que estes espaços continuam carregados de preconceitos.

Em uma série de publicações no Twitter, internautas relataram diversos momentos constrangedores pelos quais passaram dentro de algumas barbearias no Brasil. Um deles chegou a dar a ideia de se criar barbearias apenas para LGBTs.


Os gays precisam urgentemente criar barbearias LGBT, para poupar a gente de conversas machistas de barbearias hétero. Ninguém merece!”, escreveu um internauta na rede social.

“Na barbearia que eu frequentava, eu ficava calado ouvindo papo de futebol e pescaria. Agora vou a um barbeiro com quem fico falando de filmes, viagens, da vida… muito melhor!”, comentou outro.

“Por isso que eu mesmo corto meu próprio cabelo. Pra evitar essas espaços. E ainda me sinto super bem tendo tudo sob meu controle, é como se fosse um ato de empoderamento”, disse um outro internauta mais independente.

Com base nesses relatos, o Observatório G fez uma pesquisa para saber o quanto pessoas LGBTs se sentem confortáveis ou não, nas barbearias. Há realmente um incomodo por conta de situações machistas? Responda a enquete abaixo.

E você, está satisfeito com a barbearia que frequenta? Responda nossa pesquisa!