Bandeira LGBT sangrando
Bandeira LGBT sangrando (FOTO: Divulgação)

Como já se sabe, a Indonésia é um país bem inóspito com LGBTs. Desta vez, os ministérios indonésios estão proibindo a contratação de mulheres grávidas, homossexuais e deficientes. O Defensor Público, Ninik Rahayu, denunciou a medida.

“O Ministério da Defesa proíbe as mulheres grávidas de se candidatarem a um emprego, enquanto a AGO e o Ministério do Comércio proíbem isso com pessoas trans”, afirmou Ninik.

“Proibir as pessoas de se candidatarem a um emprego simplesmente porque são transgêneros não é aceitável e é uma violação dos direitos humanos”, acrescentou ele à AFP. “A Indonésia deve tentar recrutar os melhores e mais brilhantes candidatos para sua administração pública, sem aplicar restrições arbitrárias e odiosas”, acrescentou.


“Isso vai contra a Constituição da Indonésia e suas obrigações sob o direito internacional dos direitos humanos”, concluiu o defensor, que ressaltou que qualquer tratamento indigno não será tolerado.