Fani Pacheco protesta contra censura do instagram-Foto-Reprodução/Instagram.

O Instagram aceita imagens bem exóticas. Fotos de garotas com looks transparentes ou quase invisíveis que mostram a forma dos mamilos, ou então algumas nas quais os mamilos são escondidos ou alterados de forma pensada. Segunda a Folha, os mamilos continuam proibidos na rede, exceto se for um post de amamentação ou militância.

A vice presidente de políticas públicas do instagram, Karine Netwon afirma: ”A rede nunca tentou julgar valores sobre a forma como os mamilos deveriam ser encarados pela sociedade”, em contrapartida a fotógrafa Joanne Leah diz; ”Censurar a fotografia é invalidá-la como forma de arte. ”A fotógrafa que mora em Nova York teve seu post excluído há poucos dias.

Quem gosta de todo tipo de foto aprendeu a ser criativo para lidar com as restrições do site perante a exibição de mamilos femininos. As pessoas usam tinta, glitter, cabelos e pétalas de flores, amido de milho, uma espátula, bolsas, copos de bebida, filetes de goma de mascar ou areia.


A lógica do Instagram para criar uma divisão entre fotografia e outras formas de arte é que os mamilos em fotos remetem a indivíduos vivos, e o site não tem como lidar com a possível aprovação do indivíduo ou não em ser exposto. Vale lembrar que ao postar uma foto de uma estátua de mármore de Afrodite, você não terá o mesmo problema.

Artistas do pop como Miley, Rihanna, entre outros postaram fotos com os mamilos exibidos e tiveram seus posts apagados na mesma hora.

O Facebook que é uma plataforma do mesmo dono do site Instagram, recebe diariamente protestos e hashtags para aprovarem a liberação dos mamilos como são nas mídias. Mas até agora a empresa não dá indícios de que pretende acabar com a censura aos mamilos femininos em geral, inclusive de uma mulher transgênero.

Há artistas que aceitam essa condição na plataforma Instagram, outros preferem militar e expor o que realmente pensam sobre a censura dos mamilos.