Carlos Jordy (PSL-RJ)
Carlos Jordy (PSL-RJ) (Foto: reprodução)

O PSL decidiu derrubar um projeto sobre violência, embora tenha mérito, apenas por tratar de violência de gênero. Segundo a percepção dos representantes, a ideia é uma maneira de introduzir a chamada ‘Ideologia de gênero‘, por isso não merece entrar em vigor.

“Embora tenha seu mérito, existem questões que contrariam a visão moral do nosso governo”, declarou o deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ). “Seremos trincheira para que esse projeto não passe dessa forma. Possamos chegar em um consenso que não vilipendie o que nós temos de mais caro para a infância e a identidade das crianças. Por isso não vamos permitir que com esse termo [gênero] esse projeto seja aprovado”, completou.

O projeto havia sido proposto pelo deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP). “A proposta prevê a elaboração de um diagnóstico sobre o território que detalhe, entre outras situações, o quadro de violência, especificando os casos de violência em razão de gênero, raça ou contra a população LGBT, tema fundamental, tendo em vista o dado contido no Anuário da Segurança Pública de 2017 que mostrou o aumentou estarrecedor da violência contra a mulher entre nós”.


“De acordo com o estudo mencionado, em 2016 registramos uma mulher vítima de homicídio a cada duas horas”, dizia a justificativa do projeto, que , pelo entendimento de bolsonaristas, deve ser banido.