Damares Alves
Damares Alves (Foto: reprodução)

Em nova polêmica, aliás, a ministra já contabiliza inúmeras, Damares fez uma provocação em um evento que compareceu hoje (12), em São Paulo. Desse modo, como era um encontro conservador, ela aproveitou para trazer questões como “Ideologia de gênero” à tona.

“Estou aqui há 24 horas e ninguém me ofereceu ainda um cigarro de maconha e nenhuma menina introduziu um crucifixo na vagina.” Desta forma a ministra Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, iniciou seu pronunciamento.

“A cada dia eu me assusto da forma como eles estão nos vendo. Eles estão incomodados porque o Brasil já mudou”, afirmou a Damares, que logo foi ovacionada pelos presentes.


“O presidente machista entrega para o Brasil o Ministério da Mulher. Consegue entender a loucura que está na cabeça desse povo? Eles não estão entendendo nada!”, declarou a ministra. “O presidente machista já sancionou seis leis de proteção à mulher. Chora esquerda!”.

Costumes

Como já é notório, a agenda do governo Bolsonaro segue preceitos conservadores. Desse modo, os costumes foram pauta central do evento, assim, Damares falou sobre violência e projetos.

“Respeitamos eles, mas sem fazer a promoção. Estamos lutando contra a violência contra negros, gays, indígenas. Estamos protegendo todos”, declarou ela, que também falou sobre a controversa questão do “azul e rosa”.

“Quando eu falei que menino veste azul e menina veste rosa, o recado que eu mandei é que o menino vai ser menino, menina vai ser menina”, afirmou a ministra. “O governo Bolsonaro veio para dizer ‘chega de confusão no Brasil, deixa o menino ser menino’!”.