Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)
Presidente Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução)

O caso Marielle Franco vem ganhando novos contornos. Desta vez, a surpresa foi o nome de Bolsonaro estar supostamente envolvido, após o depoimento de um porteiro do condomínio Vivendas da Barra. Desse modo, em sua defesa, o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse ao blog de Andréia Sadi que ‘Bosonaro é vítima’ e o caso deve ser devidamente analisado.

“Não havendo indícios da participação de autoridades de foro – pois o presidente é vítima, não é investigado, não é réu, nem nada – quem tem prerrogativa de investigar é a Polícia Federal e o MPF do Rio. Recebi hoje e vou enviar para o MP Federal do Rio”, disse o procurador-geral da República ao blog.

Rememorando o caso, o condomínio Vivendas da Barra é o local onde reside o principal suspeito de matar a vereadora, Ronnie Lessa. Desse modo, é o mesmo condomínio onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa.


Nesse sentido, o porteiro do condomínio, em depoimento à polícia, contou que no dia do assassinato de Marielle, em 14 de março de 2018, um outro suspeito do crime, Élcio de Queiroz disse que iria falar com Bolsonaro. Contudo, registros apontam que Bolsonaro estava em Brasília.

Presidente se posiciona