Rodrigo Westermann e Silas Malafaia
Rodrigo Westermann e Silas Malafaia (FOTOS: Reprodução/Instagram)

Para aqueles que chegaram de paraquedas no assunto, Rodrigo Westermann é sobrinho-neto do pastor Silas Malafaia. Recentemente, também anunciou o noivado com Leandro Buenno, ex-participante do The Voice Brasil. O bonitão rendeu assunto ao tecer duras críticas à família do tio-avô.

O grande desabafo aconteceu em seu perfil oficial do Instagram. Por lá, falou detalhadamente sobre a educação que lhe foi dada e as vivências de infância. “Eu fui criado no evangelho, quem me conhece a muito tempo sabe muito bem, meu nome é Rodrigo Westermann Malafaia, último nome do qual é difícil de me descer na goela. Cresci apanhando e ficando de castigo por tudo, inclusive por estar com sono as 7 da manhã e não querer ir na igreja.

Ok, serviu como disciplina, me considero uma pessoa bem disciplinada. Mas esse suposto cuidado de vocês poderia ter me levado a tantos lugares ou mesmo me tirado a vida. Com 13 anos entrei em coma alcoólico por 2 dias depois de inúmeras doses de insulina. Acordei do nada, um milagre de um Deus que me ama como eu sou, é claro. Segui bebendo e muito e sim eu tinha apenas 13 anos”.


Homofobia, auto aceitação e evangelho

Seguindo o extenso desabafo, começou a discursar sobre homofobia e relatou que até tentou arranjar namoradas, a fim de tentar se adaptar ao que lhe cobravam: “Prometi mil vezes mudar, arrumei namoradas de mentira, fugi de casa, apanhei mais muitas vezes. Mas um Deus (longe do Deus vocês pregam) me tirou dessa vida hipócrita, mentirosa e cheia de preconceito e ódio.

E acreditem esse meio evangélico é muito pesado, não é só o mundo como é pregado. Eu sozinho me forcei a parar de achar todo mundo errado, menor, endemoniado, ou qualquer coisa do tipo. A igreja pregou TODOS os preconceitos a mim, com ódio, assim como meu parente vive pregando, o qual não preciso nomear”.

Superação, ansiedade, família

Finalizando o seu texto, relatou como saiu dessa espécie de ‘cama de gato’. Também expôs a sua relação com Deus e religião, ainda exaltando a importância que sua mãe e seu irmão tiveram em todo esse processo:

“Eu sou muito abençoado de ter saído disso SOZINHO, ou melhor, por Deus. A minha conexão com Deus é muito maior do que vocês ditam. Passei por depressão, perdi o maior amor da minha vida, sofri um relacionamento abusivo, fui ameaçado de morte, sobrevivi, depois de me sentir seguro e melhor tive crises de ansiedades bem fortes que poderiam ter me levado a morte, e é isso mesmo A MORTE.

E nunca duvidei ou me revoltei com ele. Mas ninguém da minha família estava lá, ninguém soube (além do meu irmão que eu pedi ajuda) e da minha mãe que cuida de mim TODOS OS DIAS. A religião cegam vocês e o amor que vocês pregam é infelizmente FALSO. Isso não é amor.

E graças a Deus, eu tenho muito amor em mim e ao meu redor. Eu vou casar com a pessoa que mais cuida de mim e me faz feliz na vida e não recebi um LEGAL de ninguém da minha família. Quer saber? Com toda educação: FODA-SE sua crença”.