O youtuber Felipe Neto tem sido alvo de um boicote, por parte de bolsonaristas após ele sair em defesa da comunidade LGBTQIA+, sobre a tentativa de censura LGBT do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), na Bienal do Livro do Rio.

No Twitter, eleitores de extrema-direita levantaram a hashtag Pais Contra Felipe Neto. Apesar da tag parecer algo negativo, a maioria dos comentários visíveis são positivos e defendendo a postura de Neto.

Por meio de seu perfil oficial, o youtuber ironizou o suposto boicote e afirmou que os comentários negativos e as tags são frutos de robôs, além de serem orquestrados pelo PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro.


“Fui ver a hashtag q o PSL criou pra me atacar e colocou bots pra impulsionar, mas só tinha tweet de pessoas do meu lado. Bots não conseguem vencer o povo, PSL. Na próxima, tentem com mais força. Vocês são fracos”, alfinetou.

O nome de Felipe Neto tem sido intensamente divulgado nos últimos dias. Isso porque após o ato de censura LGBT de Crivella, o youtuber se posicionou e, como forma de ajudar a comunidade, ele comprou cerca de 14 mil livros sobre a temática e distribuiu gratuitamente pelo evento, que aconteceu neste final de semana.