Damares Alves
Damares Alves (Foto: reprodução)

O assunto sobre a tentativa de censura de beijo gay promovida por Crivella acalorou os debates do Brasil. Desse modo, tradicionalistas e progressistas entraram em um embate e até Felipe Neto se manifestou e teve seu protagonismo. Contudo, quem surpreendeu ao comentar esta história, foi a ministra Damares Alves.

Segundo Damares, cabe a família decidir o conteúdo que a criança deve consumir. Assim, ela não legitima a tentativa de censura. “Não, não defendo. Porque, se o material era para adulto, não era para criança, e se o pai quiser comprar e dar para a criança, a criança pertence à família. Se a família acha que deve dar, a família dá”, disse a ministra em entrevista à Folha de S. Paulo.

Vale frisar que o assunto, após alcançar uma dimensão astronômica, chamou atenção do Ministério Público do Rio de Janeiro, que instaurou um inquérito Civil contra o prefeito Marcelo Crivella (PRB). O inquérito irá “apurar a apreensão de livros com conteúdo LGBT durante a Bienal do Livro/2019”.


Além do mais, foi pedido solenemente que Crivella não use de suas convicções pessoais para cercear a circulação de publicações com conteúdo LGBT+(Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros).