Alvo de diversas fake news e ataques por parte de bolsonaristas, o youtuber Felipe Neto foi convidado pelo deputado Túlio Gadêlha (PDT-PE) para depor na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fakes News.

No requerimento enviado à CPMI, Gadêlha cita a polêmica envolvendo Neto e a censura LGBT orquestrada pelo prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), durante a Bienal do Livro do Rio.

Na ocasião, Felipe foi responsável por comprar cerca de 14 mil livros com temática LGBTQIA+ da Bienal e distribuir todas as publicações gratuitamente durante a feira, causando a ira de diversos setores conservadores.


“No Twitter, a hashtag #PaisContraFelipeNeto começou a ser compartilhada e ganhou impulso. Dessa forma, a vinda do Sr. Felipe Neto, com o objetivo de prestar informações a CPMI, é fundamental. Referido youtuber acusa o PSL de criar a hashtag e colocar ‘bots’ para impulsioná-la e disseminá-la na web”, argumenta Gadêlha no requerimento. A expectativa é que o pedido seja aprovado na próxima semana.

Nesta terça-feira (10), por exemplo, Neto foi alvo de um ataque da deputada federal Carla Zabelli (PSL). Em uma publicação feita na noite desta segunda-feira (9), a deputada chegou a chamar o youtuber de “Lixo”.