Anitta
A cantora Anitta (Foto: reprodução)

Em nova entrevista, Anitta voltou a falar sobre bissexualidade e ainda aproveitou o ensejo para falar sobre preconceito e depressão. A entrevista foi concedida ao Site italiano Freeda.

Na conversa, a cantora, que recentemente gravou um vídeo rebolando só de calcinha em prol da Amazônia, disparou. “Eu sempre gostei de garotas. Eu contei para minha mãe quando tinha 13 anos. Só esperei pelo melhor momento para falar ao público para que não criassem notícias sensacionalistas e tratassem isso como uma grande coisa. Do tipo ‘essa é quem ela é’. Eu não quero isso para minha vida. Quero que minha bissexualidade seja natural e normal”, disse.

“Ninguém vai cantar na televisão e fala ‘oi, sou hetero’. Ninguém precisa fazer isso. É assim que quero que lidem com minha bissexualidade. Se você vir um homem e uma mulher se beijando na rua, vai lidar com isso com naturalidade. Eu quero que vejam a mim com uma garota tão naturalmente quanto”, continuou.


Sobre estereótipos, ela afirma: “Sempre sofri todo tipo de preconceito: Sou mulher, sou jovem e uso a sensualidade no meu trabalho. As pessoas quando veem você balançando a bunda acham que você não é inteligente o bastante. É o preconceito que sempre sofro. E também porque vim de uma região muito pobre do Brasil. Sempre que me julgam, crio forças pra dizer: Sim, estou aqui”, diz Anitta, que recentemente se afastou um pouco dos holofotes para cuidar da saúde.