Filme Tatuagem. (Foto: Divulgação)
Filme Tatuagem. (Foto: Divulgação)

Nas últimas semanas, o Presidente Jair Bolsonaro causou polêmica após cancelar um edital que selecionaria obras LGBT+ para serem financiadas com recursos públicos. Séries como  “Afronte”, “Transversais” e “Religare queer”, criticadas pelo Presidente em um live no Facebook seriam financiadas pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

O cancelamento levou Henrique Pires, o Secretário de Cultura do Governo a pedir demissão do cargo apontando censura oficial. Além disso, o Ministério Público Federal também emitiu uma nota afirmando que irá investigar se houve censura prévia por parte do Governo.

Para lembrar quão ricas são as produções audiovisuais LGBT+ nacionais, preparamos essa lista com CINCO dicas dos nossos filmes favoritos para você ESQUECER a censura de Bolsonaro (pelo menos durante algumas horas):


1.Corpo Elétrico. Direção: Marcelo Caetano

Com participação da cantora Linn da Quebrada e de Márcia Pantera, o filme aborda o cotidiano de trabalhadores de uma fábrica de confecção em São Paulo, com foco nas relações pessoais, afetivas e sexuais dos protagonistas.

2. Praia do Futuro. Direção: Karim Aïnouz

Protagonizado por Wagner Moura e Jesuíta Barbosa, o filme, que se passa no Brasil e na Alemanha, aborda a relação entre o personagem de Moura, um salva-vidas e um piloto alemão. Na obra, o protagonista precisa aprender a lidar com sua sexualidade.

3. Tatuagem. Diretor: Hilton Lacerda

O filme se passa durante a ditadura militar brasileira e representa um romance entre um oficial do exército e um ator de uma companhia teatral. A trilha sonora ficou por conta do incrível Johnny Hooker.

4. Laerte-se. Direção: Eliane Brum e Lygia Barbosa da Silva

O documentário original da Netflix acompanha a trajetória da maior quadrinista do Brasil, Laerte Coutinho. Ao abrir as portas de sua casa, Laerte nos convida para ingressar em seu mundo, em sua jornada e em seus pensamentos mais pessoais. Imperdível.

5. Hoje eu quero voltar sozinho. Direção: Daniel Ribeiro.

Um dos filmes mais doces do cinema nacional, “Hoje eu quero voltar sozinho” conta a história de descoberta do primeiro amor por um adolescente cego, Leonardo, por um colega da escola. Também está disponível no catálogo da Netflix.