Desenvolvida por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal da Bahia (UFBA), robô “Amanda Selfie” é inteligência artificial que tem como missão atrair jovens para pesquisa de prevenção ao HIV.

O objetivo é nobre! Conquistar jovens gays, mulheres trans ou travestis de 15 a 19 anos para participar de uma pesquisa sobre o uso da Profilaxia Pré-exposição ao HIV (PrEP) como forma de prevenção à transmissão do vírus.

A abordagem, entretanto, é bastante popular. “Amanda Selfie” faz uso das redes sociais, utiliza linguagem acessível e fala francamente com os jovens sobre prevenção às infecções sexual transmissíveis (ISTs) e questões de diversidade sexual e de gênero. Cerca de 700 jovens serão acompanhados pela pesquisa.


No Brasil, a PrEP está disponível desde janeiro de 2018. De acordo com o Ministério da Saúde, a busca pelo medicamento aumentou em até 38% nos últimos cinco meses. Apesar disso, alguns Estados continuam enfrentando dificuldade no combate ao vírus. Recentemente, Tocantis declarou como epidêmica a transmissão de HIV e Sífilis.