Bandeira do Orgulho Trans. (Foto: Unsplash)
Bandeira do Orgulho Trans. (Foto: Unsplash)

Tracy Single, 22 anos, se tornou a 15ª mulher transgênero negra a ser assassinada nos Estados Unidos este ano. Tracy foi encontrada morta em um posto de gasolina na cidade de Houston, Texas. 

Embora não se saibam as causas da morte, a mídia local informou, entretanto, que “não foram causas naturais”. Com o auxílio de ativistas da diversidade sexual e de gênero, uma Audiência Pública foi realizada para falar sobre o tema. A Prefeitura de Houston e outros prédios públicos também foram iluminados com as cores da bandeira trans em homenagem.

Tracy Single recebe homenagem em sua cidade.

A organização de direitos humanos Human Rights Campaign afirmou que “a violência que leva às mortes atinge desproporcionalmente mulheres transgênero negras. A interseção entre o racismo, a transfobia, o machismo, a bifobia e a homofobia as priva da possibilidade de viver e prosperar.”


Recentemente, uma pesquisa da Universidade da Califórnia revelou que crimes de ódio contra LGBTs e outras minorias aumentaram nos Estados Unidos pelo quinto ano consecutivo. Os grupos mais atacados, além das pessoas LGBTs, são a comunidade negra e os judeus.

No Brasil, 163 pessoas transgênero foram assassinadas em 2018. Em junho desse ano, o Supremo Tribunal Federal decidiu pela Criminalização da LGBTfobia no Brasil, equiparando esses crimes ao crime de racismo.