A cantora Taylor Swift não é uma das artistas do mundo pop que costuma abraçar causas ou falar sobre política, mas recentemente ela tem se destacado bastante na luta por essas questões.

Capa da revista Vogue deste mês, Taylor afirmou que uma conversa íntima com o amigo e cantor, Todrick Hall, a fez repensar sobre abraçar a comunidade LGBTQ+. Durante a conversa, segundo Taylor, Todrick a perguntou o que ela faria se tivesse um filho gay.

“O fato de que ele teve que me perguntar isso me chocou e me fez perceber que eu não tinha deixado a minha posição clara ou alta o suficiente. ‘Se meu filho fosse gay, ele seria gay’. Não entendi a pergunta. Se ele estava pensando nisso, eu não posso imaginar o que meus fãs da comunidade LGBT podiam estar pensando”, disse a cantora, revelando que por isso mostrou tantas referências LGBTs no clipe de You Need To Calm Down.


Em falar de You Need To Calm Down, desde que foi lançada, a música tem se tornado um grande grito por liberdade e de luta por direitos LGBTQ+. Na Polônia, a canção foi tema de um grande protesto online contra a LGBTfobia no país.