Após cancelamento de edital que selecionaria séries com temáticas LGBTs para serem veiculadas nos canais públicos, Henrique Pires, Secretário de Cultura do Governo pede demissão do cargo apontando censura oficial. 

O cancelamento veio após uma live realizada pelo presidente Jair Bolsonaro em suas redes sociais, na última semana. Na ocasião, Bolsonaro também afirmou que filmes com temática de diversidade sexual e de gênero não receberão financiamento público pela Agência Nacional do Cinema (ANCINE). Séries como  “Afronte”, “Transversais” e “Religare queer”, criticadas pelo Presidente na transmissão, seriam financiadas pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

Na noite de ontem, 21 de agosto, o Secretário de Cultura do Ministério da Cidadania pediu demissão, abandonando o cargo. Em entrevista ao G1, Henrique Pires afirmou que o cancelamento do edital foi “a gota d’água”. A ordem de cancelamento veio do Ministro da Cidadania, Osmar Terra.


“Eu tenho o maior respeito pelo presidente da República, tenho o maior respeito pelo ministro, mas eu não vou chancelar a censura”, afirmou o ex-secretário. “Eu não concordo com a colocação de filtros em qualquer tipo de atividade cultural. Não concordo como cidadão, e não concordo como agente público, você tem que respeitar a Constituição”, declarou para a mídia.